Wasteland 3 Review – RPG táctico brilhante, mas com problemas nas consolas

É preciso ter coragem para jogar um título pós-apocalíptico em 2020. Estamos a viver uma pandemia com capacidade para colapsar a sociedade e a economia global, com potenciais resultados desastrosos. Se há lição que a humanidade tem de aprender do que se viveu nos últimos meses e que ainda se está a viver, é que a normalidade pode mudar muito rapidamente. Ainda que Wasteland 3 mostre uma visão pós-apocalíptica resultante de uma guerra nuclear, neste momento é impossível não pensar se algum dia a ficção se tornará realidade. Apesar do jogo nos mostrar um mundo assustador em que “cão come cão”, é igualmente fascinante percorrer as cidades pós-apocalípticas que os restos da humanidade ergueram e interagir com as muitas personagens peculiares. Este não é um mundo são, os loucos, os perversos e os tiranos imperam e, no papel de Desert Rangers, os jogadores terão que escolher que tipo de pessoa aspiram ser. Acima de tudo, este é um jogo de escolhas e possibilidades, em que podes tentar ser justo, bondoso e prestável, ou embarcar por um caminho completamente oposto.

Um RPG táctico desafiante, mas também frustrante

Desprovidos de recursos e numa situação extremamente delicada, os Desert Rangers abandonam o deserto do Arizona para viajar para as montanhas geladas do Colorado a convite do Patriarca do Estado. É nesta zona que o novo RPG da inXile Entertainment decorre ao longo de dezenas de horas. Wasteland 3 é como aqueles livros em que as páginas se desdobram, revelando mais profundidade e possibilidades regularmente. No início passas por controlar um grupo de duas personagens, mas muito rapidamente o grupo aumenta para seis. As duas personagens iniciais são criadas por ti, tanto no aspecto visual como na distribuição de pontos nos atributos e habilidades. Este é um jogo com personalização complexa, em que cada parâmetro influencia como se vai comportar a personagem em combate ou em momentos narrativos chave. Não há nenhum parâmetro que seja irrelevante, até mesmo a reparação de tostadeiras prova ser útil.

“Wasteland 3 é como aqueles livros em que as páginas se desdobram, revelando mais profundidade e possibilidades regularmente”

Para além da gestão do grupo, terás que ajudar a construir a nova base dos Rangers. A base precisa de todo o tipo de pessoas, desde um médico a um cozinheiro para alimentar o pessoal. O médico parece-me de todos o mais essencial visto que Wasteland 3 consegue ser desafiante mesmo na dificuldade normal, se bem que algumas das regras me pareçam contraditórias. Por exemplo, podes reviver companheiros de equipa durante os combates desde que chegues à sua beira dentro dos turnos indicados, mas se o combate terminar sem reviveres o teu companheiro, só vais conseguir curá-lo de duas formas: usando uma injecção específica (Nitro Spike) ou regressando a um médico e pedir que cure o teu grupo. É estranho que possas reviver companheiros durante os combates a custo zero, mas que o mesmo não aconteça fora destes.

This content is hosted on an external platform, which will only display it if you accept targeting cookies. Please enable cookies to view.

Os combates envolvem bastante estratégia e gestão, afinal, este é um RPG táctico por turnos. Não sou um perito no género nem um novato, mas a curva de aprendizagem é um pouco íngreme. Recursos como itens de cura e até mesmo a munição podem tornar-se escassos caso não tenhas cuidado. É necessário ter uma equipa equilibrada, em que cada personagem desempenha um papel específico. Foram várias vezes em que encalhei e precisei de recarregar um ficheiro de gravação para conseguir sair vitorioso de um combate. Estes momentos puxam por ti e pela tua capacidade de adaptação e, se gostas de desafios, vais sentir-te realizado.

“É necessário ter uma equipa equilibrada, em que cada personagem desempenha um papel específico.”

Cada personagem recebe a cada turno pontos para gastar em acções. Com estes pontos podes deslocar-te no cenário, atacar os adversários, recarregar as armas de fogo, e optar por decisões defensivas como ficar em posição de defesa ou guardar os pontos para o próximo turno. No meio disto, há muitas probabilidades envolvidas. Sempre que vais atacar o adversário, não existe 100% probabilidade de acertar. Mesmo que estejas à sua beira com uma arma de contacto físico, ainda existe uma pequena chance do ataque não acertar. Estes momentos são frustrantes, principalmente se o teu adversário está mesmo à beira da derrota e só precisas de lhe acertar uma vez para o eliminares. Como os inimigos são quase sempre numerosos em Wasteland 3, eliminar adversários o mais rápido possível torna-se crucial para sair dos combates sem que as tuas personagens morram ou percam muita vida.

wasteland_3_quirksOs diferentes quirks de Wasteland 3 que podem ser aplicados às personagens. Há sempre vantagens e desvantagens. Os quirks são opcionais.

Mas há outro tipo de momentos frustrantes em Wasteland 3. Os loadings são constantes e demorados (surgem sempre que entras ou sais de um edifício, ou trocas de área), pelo que recarregar um ficheiro de gravação para recomeçar um confronto acaba por tornar-se desagradável simplesmente pelo tempo de espera. Nenhuma das áreas do jogo é grande o suficiente para justificar loadings tão demorados. Existem jogos em mundo aberto com loadings menores e menos frequentes.

Versão PS4 com problemas

Wasteland 3 tem tanto de brilhante como confuso. As habilidades das personagens, juntamente com os Quirks (são peculiaridades que dão vantagens e desvantagens a uma personagem) permitem que jogues exactamente como tu queres. As possibilidades estratégicas são mais do que muitas. Os combates envolvem risco, capacidade de previsão e conhecimento amplo das mecânicas. A escrita que sustenta este mundo pós-apocalíptico é perfeita. Os diálogos das muitas personagens que encontramos nunca são aborrecidos, estão cheios de sátira e de pequenas curiosidades que vão completando o nosso conhecimento do lore. Mas depois há coisas questionáveis como ausência de viagens rápidas. Eventualmente chegas a um ponto em que podes percorrer o estado de Colorado no teu veículo armado e explorar novos locais, mas isto envolve tantos loadings e deslocações repetidas que ultimamente a longevidade de Wasteland 3 é inflacionada por isto.

“Há coisas questionáveis como ausência de viagens rápidas”

Fora isto, encontramos vários problemas de natureza técnica da PlayStation 4, a versão testada e fornecida pela editora. Mais do que uma vez encontramos erros que forçaram a aplicação encerrar, interrompendo combates e causando a perda de progresso. Também encontramos outros erros como personagens cujas texturas e modelo não apareciam, e perda total do som do jogo (depois de reiniciarmos a aplicação, o som voltou a funcionar). No geral, o jogo corre de uma forma instável, com animações horríveis e texturas básicas. Tecnicamente, é um jogo que deixa bastante a desejar sem razão aparente (a não ser falta de optimização, é claro). Visualmente também não impressiona, pelo contrário, mesmo tendo jogado na PlayStation 4 Pro. Sabemos que este é um projecto que nasceu via crowdfunding – e por norma os recursos de produção são mais limitados – mas a InXile é um estúdio que já leva muitos anos de experiência e tinha o dever de apresentar um produto mais polido, já para não falar que o preço de Wasteland 3 o coloca a competir directamente com jogos AAA.

wasteland_3_reviewOs objectos dos cenários servem como protecção para as personagens, mas há sempre probabilidades envolvidas. Mesmo que a personagem esteja protegia, ainda existe uma pequena chance de ser atingida.

Uma verdadeira experiência pós-apocalíptica

Se há coisa em que Wasteland 3 acerta, é na experiência pós-apocalíptica que oferece. Vais sentir de várias formas a hostilidade, crueldade e impressibilidade deste mundo. Não fossem os vários problemas de origem técnica, algumas decisões de design que causam frustração, e uma interface e controlos confusos nas consolas, seria um RPG excelente. Ainda assim, há muito para se gostar em Wasteland 3 se procuras uma experiência desafiante, com profundidade estratégica e com escolhas morais que realmente têm impacto no desenrolar da narrativa.

Prós: Contras:
  • Poderosa atmosfera pós-apocalíptica
  • Muitas possibilidades tácticas
  • Decisões morais com impacto
  • Elevado nível de personalização e de progressão das personagens
  • Excelentes qualidade dos diálogos
  • A interface é confusa e deselegante
  • Loadings demorados e em abundância
  • Problemas de instabilidade na PS4
  • Ausência de fast travel aumenta artificialmente a longevidade
Share

Leave a Reply