O que estamos a ver: séries e filmes – 22 janeiro

Ao longo de 2022 partilhámos contigo os jogos com os quais passamos o nosso tempo livre. Existem imensos jogos que jogamos por lazer, para nos entretermos e ajudar a escapar desta dura realidade que causa transtornos a todos. De formas diferentes, todos lidamos com problemáticas similares e os jogos são um sensacional escape.

No entanto, também passamos tempo a ver séries e filmes, desde dramas a comédias e claro, animações, algo do qual já falamos regularmente no nosso site. Agora, para iniciar 2023, decidimos partilhar contigo as séries, filmes e animações que estamos a ver, para que nos possas conhecer um pouquinho mais e saber o que andamos a fazer.

Tal como nos jogos, as séries e filmes que vemos dizem muito de nós e da forma como gostamos de passar o tempo. Temos gostos muito variados e também gostamos de arriscar e espreitar géneros que habitualmente deixamos passar ao lado. Temos os nossos favoritos e aquela série que nos marcou, o que nos faz também sentir vontade de partilhar algumas “experiências” que fazemos, talvez seja melhor dizer “riscos” que tomamos.

Isto não serve para analisar uma série ou filme, apenas para partilhar o que andamos a ver, sem qualquer sentimento de culpa, mas ocasionalmente podemos fazer uma recomendação ou sugerir algo. Tendo em conta o quão precioso é o tempo, talvez até possamos ajudar-te em algumas escolhas.


Looking (HBO Max)

Depois de terminar o primeiro episódio de The Last of Us na semana passada, estava à procura de alguma coisa para ver. Deparo-me com Looking e vejo a cara de Jonathan Groff. Como tinha gostado de Mindhunter e da sua prestação, pensei para mim, porque não? Looking é uma série que decorre em São Francisco, e que acompanha a vida de um grupo de amigos gay. Jonathan Groff faz o papel de um level designer num estúdio de videojogos e num dos episódios até vai à GaymerX (é um evento real), se bem que a série foca-se muito mais na sua vida amorosa (e dos seus amigos). Uma série divertida e que procura mostrar os dilemas dos relacionamentos homossexuais.

Jorge Loureiro


The Shelter (Procurem Abrigo)

Obviamente que a série The Last of Us da HBO Max fez parte da minha semana, que por sua vez confirmou a qualidade que se esperava e desejava. Contudo, gostava de destacar um filme um tanto desconhecido e até subvalorizado, The Shelter (Procurem Abrigo), com Michael Shannon e Jessica Chastain. Uma história de simplicidade, de um homem de família que ama a sua mulher e filha, mas em determinado momento tudo se altera, ele começa a sonhar sobre uma tempestade que se avizinha. Confesso que já vi o filme várias vezes e nunca me canso da forma como o realizador Jeff Nichols conduziu a narrativa, sublime pela modéstia, mas com conteúdo que agarra o espetador até ao último segundo. Recomendo que vejam The Shelter, merece.

Adolfo


Vatican Girl: The Disappearance of Emanuela Orlandi (Netflix)

Nos últimos tempos, tenho andado bastante obcecado com documentários e, esta semana, decidi ver um que está de momento a dar que falar – Vatican Girl: The Disappearance of Emanuela Orlandi. Ao longo de quatro episódios, é-nos contada a história de Emanuela Orlandi, uma rapariga de 15 anos residente do Vaticano que desapareceu sem deixar rasto nos anos 80. Vários possíveis culpados são apontados – incluindo a máfia, grupos políticos e o próprio Vaticano – e tudo é explicado ao pormenor. Apesar de longo e com alguns momentos demasiadamente parados, é uma boa escolha para os fãs de documentários, com temas bastante polémicos e atuais. Está disponível na Netflix.

Jorge Salgado


Vinland Saga na Netflix

Esta semana terminei a primeira temporada de Vinland Saga e vi os primeiros episódios da segunda. Esta história de vingança e jogo de poder na era em que os vikings tentavam conquistar o território atualmente conhecido como Inglaterra tem bons momentos, mas no geral não me conquistou a sério. Thorfinn tornou-se numa personagem unidimensional e sem progressão, algo que resultou numa sensação de estagnação na segunda metade da primeira temporada. Somente quando o jovem príncipe Canute ganha confiança para assumir o seu papel no jogo de poder é que as coisas ganham algum interesse e os jogos políticos se fazem sentir.

Bruno


Rali de Monte Carlo – Sport TV4

Como fã de desporto motorizado, o mês de Dezembro é normalmente de pausa da esmagadora maioria das competições. Consagrados os campeões e atribuídos os prémios, desenvolvem-se as máquinas para a nova temporada. E como já estamos em 2023, as competições começam a voltar. A Fórmula 1 só chega em Março, mas Janeiro traz boas competições. Desde há muitos anos que começa com o Dakar, segue-se o icónico Rali de Monte Carlo e depois as 24 horas de Daytona, para o final do mês. Como sou assinante do pack motores da Sport TV, este ano este ano estou a acompanhar a primeira prova do WRC, nas montanhas geladas e serpenteantes de Monte Carlo. Com bólides melhorados, a competição continua acesa. A Sport TV está a transmitir todos os troços em directo, no seu canal 4. Das duas primeiras etapas sobressai o rei do costume: Ogier. Como velhos são os trapos, este campeão do mundo por oito vezes continua a puxar dos galões, mesmo a ter contra si o campeão do ano passado, Kalle Rovanpera, e o sempre temível Neuville, da Hyundai. Tanak conduz o Ford Puma WRC mas ainda não parece ser capaz de fazer frente ao velho lobo Ogier.

Vítor Alexandre

Share

Leave a Reply