Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion – Relíquia

Eurogamer.pt - Recomendado crachá
Crisis Core permanece um jogo espetacular, com personagens carismáticas e uma narrativa poderosa. O sistema de combate modernizado e as melhorias gráficas engrandecem a experiência ao ponto de compensar a humildade de um design pensado para uma portátil de 2007.

Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion é o mais recente esforço da Square Enix, uma das maiores casas japoneses nesta indústria e que durante anos nos apresentou apaixonantes títulos. Após alguns anos mais atribulados, a Square Enix parece estar a recuperar o fulgor e a entregar uma forte relação entre quantidade e qualidade.

Esta nova versão de Crisis Core para as plataformas modernas livra o título de culto das amarras da PSP e consegue chegar com uma curiosa pertinência que solidifica a sua existência. Quem conhece o original, terá todo o gosto em voltar a jogar um título tão memorável, cuja melancolia é embalada ao ritmo de diversos refinamentos. Quem não conhece o original e adorou Final Fantasy 7 Remake, tem aqui a oportunidade para expandir o seu conhecimento deste universo, antes da chegada da segunda parte.

Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion não é propriamente um remake, mas está muito acima do que esperarias de um remaster e a Square Enix merece os parabéns pelo equilíbrio alcançado neste título. É um jogo que moderniza muitas das especificidades do jogo original, como o jogo de combate, mas sempre com respeito pela sua essência para permanecer fiel e autêntico.

Crisis Core decorre cerca de 10 anos antes de Final Fantasy 7 e vai-te fornecer muito do contexto que suportará o teu conhecimento deste mundo. As visões de Cloud Strife em Final Fantasy 7, a tristeza constante que assola os belos olhos de Aerith, o misterioso Sephiroth e o seu desaparecimento, sem esquecer que descobrirás muito sobre a Shinra e o programa SOLDIER, Crisis Core é um jogo de narrativa fenomenal. Os seus personagens, de Zack a Angeal sem esquecer Genesis, são uma lembrança de uma era na qual a Square Enix cavalgava numa onda especial de criatividade.

Zack Fair é o protagonista, um soldado especial da Shinra que tenta estar à altura de Angeal, o seu instrutor e figura modelo. Zack pretende ser um herói como Angeal e Sephiroth, com uma fé inabalável na Shinra e o seu propósito de proteger os cidadãos de Midgar. No entanto, Crisis Core começa após o desaparecimento do herói Genesis, com Zack a iniciar uma jornada que o levará a descobrir a verdade em torno da Shinra, do programa SOLDIER, da origem dos poderes de heróis como Sephiroth e as consequências que devastam praticamente todos os que ficam na mira dessa companhia.

Esta história permanece cativante e memorável, mesmo passados 15 anos, tal como as personagens que vais conhecer. Crisis Core é um jogo que tenta equilibrar a alegria de um jovem repleto de sonhos e que está a descobrir o amor com a fatalidade e tristeza de uma realidade cruel que agarra o indivíduo que segue sem a noção que já caminha num percurso armadilhado.

Romantismos à parte, estou simplesmente a tentar mostrar-te o quanto adoro este jogo, a verdade é que Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion é um título tão encantador em 2022 quanto o foi em 2007. Sem a responsabilidade de figurar como um título bandeira de uma portátil, Crisis Core chega para expandir o universo Final Fantasy 7 Remake e é um misto de remaster e remake que facilmente conquistará os jogadores.

Ao longo das 12 horas necessárias para terminar os 10 capítulos de Crisis Core (joga em Difícil pois em Normal nem sequer existe desafio) descobrirás que o design humilde da versão original não foi alterado, mas os visuais, banda sonora e sistema de combate ostentam a qualidade que esperarias de um remake, sem esquecer a novidade que são as vozes das personagens. Já agora, as missões extra permanecem uma forma de aumentar as horas de jogo e passar mais tempo com o divertido sistema de combate.

Se o design de níveis, totalmente linear, revela uma escala básica e pensada para uma portátil em 2007, com constantes loadings entre áreas e uma escala pequena para os cenários, os gráficos conseguem momentos incríveis e o sistema de combate vindo diretamente de Final Fantasy 7 Remake fazem de Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion um grande sucesso.

Nesta jornada para descobrir o início de uma épica história sobre um planeta condenado à destruição, a Square Enix pegou nas melhorias construídas para o remake de Final Fantasy 7 e combinou-as com as especificidades de Crisis Core. Zack é o único personagem que controlas, mas graças à mecânica DMW (Digital Mind Wave) tens uma versão muito interessante do Limite break do jogo onde jogas com Cloud, Tifa e Barret.

Enquanto atacas com a espada ou ativas feitiços de ataque e cura, sem esquecer desviar dos golpes no momento oportuno, o canto superior esquerdo do ecrã mostra figuras em constante movimento, como uma roleta. Quando três figuras iguais se alinham, Zack pode despoletar um ataque especial. Crisis Core é um jogo muito fácil e somente algumas missões extra vão desafiar a sério, mas em alguns momentos, é preciso estratégia e estes ataques especiais DMW vão fazer a diferença.

Até os Summons estão associados a esta roleta. Após vencer essas criaturas nas missões extra, elas podem surgir na roleta DMW e ocasionalmente poderás despoletar estes ataques espetaculares, que duram largos segundos. A Square Enix tornou-se conhecida pelos Summons cujas cutscenes duravam imenso tempo e eram espetaculares. Crisis Core atesta isso. Subir o nível da Materia e o de Zack, está relacionado com esta roleta e também se torna num elemento que o diferencia de qualquer outro JRPG que já jogaste.

A escala de Crisis Core permanece humilde, mas o jogo é mesmo muito divertido e o sistema de combate é um dos seus maiores trunfos, juntamente com os personagens e narrativa. Mecânicas como a DMW e Materia Fusion ajudam a conseguir um pouco mais de profundidade numa experiência pensada para uma portátil e a realidade de sessões curtas de jogo fora de casa. Passei imenso tempo a combinar Materia para se tornarem mais fortes, obter novas com buffs específicos e a desfrutar das missões Extra.

Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion é um jogo fácil de relembrar. A versão original é um dos grandes marcos de uma era de ouro da Square Enix e a nova promete figurar com o mesmo estatuto nesta nova era de ouro da companhia japonesa. Mais do que um remaster, mas com elementos vindos diretamente do original que o impedem de se tornar num remake, Crisis Core -Final Fantasy 7- Reunion é um glorioso atestado das capacidades desta casa nipónica.

Prós: Contras:
  • Qualidade gráfica incrível em vários momentos
  • Narrativa forte com personagens que vais adorar conhecer
  • Sistema de combate altamente divertido
  • Imensas missões extra com um bom desafio
  • Mecânicas como Materia Fusion dão profundidade ao gameplay
  • Banda sonora espetacular
  • Design linear e básico de um jogo pensado para uma portátil
  • A duração de 12 horas poderá ser pouco para o que esperas de um JRPG
  • Não existe dificuldade ou desafio se o jogares em Normal
Share