Criador de Celeste defende que Sekiro poderia ter opções de dificuldade

Sekiro: Shadows Die Twice é o mais recente jogo da aclamada From Software e, como seria de esperar, a sua dificuldade é um dos elementos mais marcantes desta experiência feudal.

Disponível desde 22 de Março, Sekiro tem dado muito que falar devido à sua dificuldade e também sobre a ausência de opções para ajustar a experiência, o que poderia permitir a mais pessoas jogar o jogo.

Enquanto alguns defendem que a dificuldade faz parte da visão da From Software e que Sekiro não precisa de um modo mais fácil – o intuito do jogo é mesmo forçar-te a aprender os movimentos dos bosses até conseguires libertar-te desse desespero, outros acreditam que não é bem assim.

Matt Thorson, criador de Celeste, faz parte dos jogadores que estão neste momento a enfrentar os terríveis inimigos de Sekiro e acredita que algumas opções extra poderiam beneficiar o jogo, sem estragar a sua essência.

Através das redes sociais, Thorson comentou sobre o actual debate que se instalou entre a comunidade do jogo e como opções de acessibilidade poderiam permitir a mais pessoas desfrutar de Sekiro.

Thorson começou por pensar em como seria “se Sekiro tivesse um modo Assist ao estilo de Celeste” e deu diversas opções, como ajuste de velocidade, remover o limite de vezes que podes ressuscitar, ficar invisível em modo stealth, postura infinita e até ficar invencível enquanto bebes um frasco de Gourd.

O criador de Celeste diz que está a adorar Sekiro e que poderá ser o seu jogo favorito da From Software, mas entende algumas das críticas que estão a ser tecidas à postura da companhia.

No entanto, Thorson destacou alguns pontos importantes nos modos Assist que devem ser tidos em conta pelos jogadores.

Elementos importantes dos modos Assiste para jogos difíceis, na minha opinião: apenas podem ser activados no menu principal, por save, para que sejam invisíveis para quem joga sem eles.”

“Devem apresentar uma clara explicação do que são desde logo e assim que activos, podes ajustar as opções de assistência à vontade, durante o gameplay.”

Os fãs da From Software habituaram-se a encarar as suas experiências como desafios incríveis e que os forçam a aprender até não cometerem mais erros.

Os erros são pagos a preço bem elevado e frequentemente serás levado ao desespero, um sinal da exigência que estes jogos impõe sobre o jogador e que nem todos vão querer suportar.

Thorson defende que as opções de assistência podiam resolver isso, sem interferir com a experiência no seu estado mais puro, visionada pela From Software.

Também penso que as mais importantes opções de assistência são que estão no meio, como abrandar o jogo 20% ou conseguir um dash extra em Celeste. Coisas como essas permitem ao jogador afinar aspectos da dificuldade, ao invés de a tornar trivial.”

Share